Geral

Empate azedo na Ilha, por José Neves Cabral

Empate azedo na Ilha, por José Neves Cabral

13/09/2012 10:25

Por José Neves Cabral

O controle de bola é fundamental no futebol. E o Sport conseguiu isso no primeiro tempo contra o Bahia, nessa quarta-feira. Abriu o placar e seguiu dominando a bola e o jogo em todo o primeiro tempo. Mas foi perdulário. Desperdiçou as oportunidades que teve para ampliar a vantagem. A saída de Hugo aos 30 minutos do segundo tempo acabou sendo determinante para que o Bahia chegasse ao empate.

O meia fazia sua melhor partida pelo Leão, segurando a bola, distribuindo e marcando com perfeição. Ao deixar o campo para dar a vaga a Felipe Menezes levou com ele o equilíbrio do time do Sport. O Bahia passou a mandar no jogo e foi criando uma oportunidade atrás da outra, imprensando a defesa rubro-negra até que Hélder marcou o gol num chute cruzado.

O empate foi péssimo, pois significou a perda de dois pontos em casa. O Sport chegou aos 23 pontos, distanciando-se quatro pontos das equipes que estão fora da zona de rebaixamento. A distância é pequena, mas é ao mesmo tempo grande em virtude das dificuldades da tabela. A próxima partida da equipe será no Beira-Rio, contra o Internacional, que busca uma vaga na Libertadores, o mesmo Inter que venceu o Sport com autoridade, por 2×0, na Ilha do Retiro, há três meses.

O resultado ruim, porém, não nos impede de dizer que há uma clara evolução no desempenho do Sport. Em cinco partidas neste returno, o time somou oito pontos, aproveitamento de mais de 50%.

Hoje, quem encara um desafio e tanto é o Náutico, no Olímpico, em Porto Alegre. Sem Kieza, Araújo, Kim e Dimba, o Timbu enfrenta o Grêmio, candidatíssimo ao título nacional ao lado de Fluminense e Atlético Mineiro. Os alvirrubros somam 28 pontos na classificação e precisam de pelo menos um empate para continuar distante do grupo dos ameaçados de rebaixamento.

Acredito que o técnico Alexandre Gallo vai armar uma retranca muito forte, pois a essa altura não interessa jogar de igual para igual com o tricolor gaúcho, principalmente para uma equipe tão desfalcada como a alvirrubra.

Melhor reconhecer as próprias limitações e jogar de acordo com o regulamento.

Opine e entre na discussão