Opinião

Ações no Twitter impulsionam comunicação no Brasil, por Rodrigo Capella

Ações no Twitter impulsionam comunicação no Brasil, por Rodrigo Capella

15/05/2012 15:24

Se há algo em que sempre pensamos no mundo da comunicação é: “Como podemos fazer algo realmente diferente?”. Esta pergunta é tão ampla como as possíveis respostas. No entanto, pode ser, curiosamente, respondida com uma só palavra: criatividade.

No Brasil, há uma disputa entre as agências de relações públicas e as agências digitais sobre quem é mais capaz de construir programas e criar conteúdos para mídias sociais. Para explicar isso, vou apresentar dois exemplos brasileiros.

Para promover a venda do Xbox, a loja virtual da Saraiva anunciou no Twitter uma campanha interativa com seus seguidores, desenvolvida pela agência digital iThink.

A forma de participação dos seguidores foi o grande diferencial da iniciativa. Para fazer parte dela, você tinha que seguir @saraivaonline (até aí, nada de original) e twittar uma imagem que simulasse uma cena ou uma personagem de qualquer jogo do Xbox (este é o insight da campanha).

As vinte melhores fotos foram para uma votação popular e autor da imagem mais votada ganhou um Xbox. Para ver as melhores fotos da campanha, acesse: http://www.flickr.com/photos/saraivaxbox.

Outra campanha interessante foi realizada pela agência de relações públicas LVBA e pela Nokia. Para noticiar que um aplicativo foi desenvolvido, possibilitando o acesso direto aos seus canais digitais (redes sociais, sites, blogs, etc.), a LVBA sorteou (via Twitter) um Nokia 5235 com o ‘Comes With Music’ com o app embarcado.

A iniciativa em si foi simples. Bastava seguir o perfil da agência (@ LVBA) e dar um RT em uma frase específica. Pronto! Você já estava participando. A originalidade estava no sorteio de um telefone celular com um aplicativo, oferecendo ao usuário uma experiência de uso para os seguidores do Twitter.

Estas duas ações – criativas em certos aspectos – têm ajudado a consolidar o Twitter como uma ferramenta inovadora, ágil e inteligente em programas de comunicação.

No passado, as campanhas de comunicação no Brasil foram limitadas a RT algumas mensagens no Twitter, oferecendo descontos ou alguns produtos. Hoje em dia, já se oferece uma interatividade real, seja por meio da imitação de um personagem de Xbox, ou por meio de uma experiência de aplicação móvel.

Trata-se de um novo modelo de comunicação! E realmente não importa quem o faz: agência digital ou de relações públicas. O fato  (e isso sim deve ser levado em conta) é que as iniciativas comunicacionais estão se tornando cada vez mais social, mais divertidas e certamente menos previsíveis.

O que vem depois?

Nota: este artigo foi publicado originalmente em inglês no blog do PR americano Bob Pickard.

Opine e entre na discussão