Sem Censura

Prefeito sai na frente. Na Coluna do Meio-dia, por Ricardo Antunes

Prefeito sai na frente. Na Coluna do Meio-dia, por Ricardo Antunes

23/04/2012 13:40

Ainda mal avaliado por grande parte dos eleitores recifenses que não querem sua reeleição, o prefeito João da Costa saiu na frente na briga das prévias do partido marcadas para o dia 20 de maio. Não só conseguiu atrair quase três vezes mais pessoas no lançamento de sua candidatura, no último sábado, nas Graças, como também mostrou que a militância do partido parece que não deu muita bola para os discursos das lideranças que fecharam com a candidatura de Maurício Rands.

Estive nos dois eventos: tanto o de Rands, na quinta, no Clube da Polícia Militar, quanto o do Prefeito, no sábado, no Colégio Vera Cruz, e atestei uma coisa que os números já diziam e o clima reforçou. A militância do PT não foi na onda das lideranças expressivas, como o senador Humberto Costa, o presidente do PT, Pedro Eugêcio, ou o ex-prefeito João Paulo, que firmaram apoio ao candidato preferido do Governador.

De posse de mais de 7,5 mil assinaturas contra “quase” 4 mil reunidas pelo seu adversário, o João da Costa não só afinou o discurso como mostrou que vai intensificar a pressão sobre os militantes que terão direito a voto nas prévias do partido. “Vamos pedir um voto a mais e mostrar quem de fato manda no PT, que é sua militância”, disse o Prefeito emocionado para um público estimado em mais de duas mil pessoas. No evento de Mauricio Rands não havia nem 500.

“Ele tem a vantagem de conhecer essa militância de perto, pelo seu trabalho no Orçamento Participativo”, resumiu o deputado Fernando Ferro (PT), entusiasta e defensor da reeleição do Prefeito. “Não posso deixar de admitir que foi mesmo uma demonstração de força”, disse ao ser indagado sobre o que via, o deputado federal e presidente do PT, Pedro Eugênio, que prometeu pela décima vez “isenção” no seu comportamento. “Não vou mais a evento de nenhum dos dois candidatos”, prometeu ele, que antes de seguir para uma reunião me confirmou que iria telefonar para Mauricio Rands, dando sua impressão do ato pró João da Costa.

Obviamente a constatação do colunista poderá ser alterada, pois os times entraram em campo agora, e daqui para o domingo das prévias teremos semanas de intenso bombardeio e corrida junto às bases. Mas a julgar pelo início, nos primeiros quinze minutos de bola rolando, não há qualquer dúvida. Com uma forte rejeição do povo ainda se fazendo mostrar nas pesquisas, João da Costa, no entanto, abre vantagem e sai na frente nessa briga interna do PT que ainda vai deixar muitos “mortos e feridos” ao longo do caminho. E desponta, sim, hoje, como o favorito para uma prévia que será marcada por acusações dos dois lados, de compra de votos e uso da máquina administrativa municipal.

Uma informação, claro, que o Governador Eduardo Campos não vai gostar de saber.

 



Os retirantes do clima

Nenhum dos quatro eixos da pauta levada por Pernambuco para a reunião de hoje, em Aracaju, com a presidente Dilma Rousseff, sobre a seca que se abate no Nordeste, leva em consideração a principal palavra dos especialistas que alertam para os efeitos das mudanças climáticas: adaptação.

Nem obras federais, nem ampliação do crédito rural passam perto do centro do problema: o clima alterado já está provocando consequências visíveis no sertão e a tendência é que o quadro piore. As perdas das lavouras vão aumentar, assim como a estiagem e o drama da falta de água.

Diante disso, sem alarmismo, mas com responsabilidade, o governador Eduardo Campos e outros líderes da região poderiam começar a desenhar uma estratégia mais ousada, cuja adoção daqui a alguns anos não poderá ser adiada. É preciso organizar a retirada das famílias do semi-árido, do mesmo jeito que se promove a retirada de encostas de morros ameaçados de deslizamento.

Melhor conscientizar agora e dar condições aos retirantes do clima, antes que se tornem vítimas da seca formando legiões de refugiados em direção aos centros urbanos.

Infelizmente, a desertificação do Nordeste é uma questão de tempo.

 



Paul McMarketing

O profissionalismo de um grande astro também se mede pelo conhecimento básico sobre a plateia do dia. Nisso, a assessoria de Paul McCartney foi perfeita: as palavras proferidas em “pernambuquês” e a bandeira estadual em punho bastaram para mexer com o ego inflado do público no Arruda.

Foram dois dias de êxtase, orgulho, louvação e auto-exaltação dos dezenas de milhares de “beatlemaníacos arretados”.

Deu tão certo que muita gente que foi no sábado resolveu ir também no domingo.

“Ah, é Pernambuco”!

Fazer o que, né?

Let it be.

 



A volta de Zé Múcio?

Notinha de Felipe Patury, na revista Época desta semana, lança o nome de José Múcio, ex-PFL e ex-líder de Lula – atualmente ministro do TCU -, como suposto nome preferido de Eduardo Campos para sucedê-lo no Palácio das Princesas em 2014.

Seria, a bem da verdade, uma ironia do destino: em 1986, Zé Múcio era o candidato da “direita” e dos usineiros contra o avô de Eduardo, Miguel Arraes, e terminou amargando uma baita derrota eleitoral.

Apesar das voltas que Pernambuco dá, é difícil de acreditar.

Comentários

Pedro Francisco - 23 de abril de 2012

Zé Múcio foi o cara que amargurou uma derrota e foi a melhor derrota que alguém poderia ter amargado. Deputado federal, Secretário do Recife, Ministro de Estado e, agora, Ministro do TCU e cotado para ser Governador de Pernambuco.
Isso é que é derrota!!!

[Reply]

Opine e entre na discussão